poesia com sentimento

Dentre os poetas gaúchos que lançaram o seu primeiro livre recentemente, um dos nomes mais interessantes é o de Jaime Medeiros Jr. Seu livro Na ante-sala (Ed. Portopoesia e Ed. Território das Artes, 200Smilie: 8) traz à tona uma delicadeza sentimental certeira. Jaime encarna o poeta lírico na dose certa: não há exageros nas imagens poéticas nem na forma. O poeta sabe muito bem quando cortar um verso e mantém um léxico digno dum artista do cotidiano.

Jaime evita o hermetismo que para muitos poetas é apenas um artifício que camufla a vacuidade criativa. Ele abraça o verso limpo de intelectualismos e procura material no coloquial. Ao ler os seus poemas, imaginamos Jaime sentado numa mesa de cafeteria rabiscando palavras ou num domingo qualquer anotando versos num banco de parque. Ou ainda numa sala de cinema com um bloquinho e uma caneta – já que em vários poemas de seu livro ele busca inspiração em filmes de sua predileção.
Os três poemas que garimpei para ilustrar esse livro são pérolas de simplicidade e denotam um autor preocupado com as oscilações de uma consciência atenta à delicadeza perdida. Difícil seria não associar cada estrofe a um aspecto singelo de nossa personalidade. Para conhecer com mais porfundidade o trabalho do autor, acesse Tênues Configurações e Filhos de Orfeu, dois blogs de conteúdo apurado.

Obs: hoje estes blogs estão desativados. Acesse sim este blog – Simples Hermenáutica.

poema de sábado

pai
por favor
só um pouquinho de silêncio
por que tantas palavras
pra que tanto falar
pra que eu –
que estou de viagem pra casa
ainda sobre a faixa de segurança
e faltando só uns poucos passos
pra chegar lá –
não esqueça
que apesar de tudo
ainda não sei amar
……………….

tão longe tão perto
(p/ wim wenders)

repleto
dos homens e de suas armas
o barco combina-se à distância com que se recobre o olhar
não não
não sei ser
homem
e contudo
pequena criança
agora sei da arte do tempo
agora sei da morte
e por duas vezes já morri

por te amar
……………

abandono

quando pequeno
pintei em carvão uma pequena casa
esquecida e inabitada
senti toda a tristeza de quem se obrigou a deixá-la
e em meio ao corpo presente da pequena casa re-tratada
senti que toda a ausência que há no mundo
ali estava

About Jaime Medeiros Júnior

poeta e escritor portoalegrense
livros: na ante-sala [2008]
retrato de um tempo à meia-luz [modelo de nuvem – 2012]
pediatra

Category(s): about me, do arco da lira, doutras nauticas
Tags: ,

Deixe uma resposta